Índia _ Arambol e um por do sol de encantar

Arambol (Goa), 10 de Janeiro 2009
Praia, ao luar da lua cheia : 21h00

Anjuna é extremamente perigosa para quem planeia uma viagem pela Índia. Aliás, toda a Goa o é.
Nestes últimos dias, foram vários os bagpackers que conheci e que aqui ganharam raízes, ficaram uma semana, duas, três… tem quem aqui esteja faz meses. É muito fácil habituar-se a esta vida e muito difícil deixá-la. Praia paradisíaca, boa comida e saudável, muita fruta e sumos naturais, festas e finais de tarde de encantar.
Era suposto já cá não estar, havia comprado bilhete de comboio para partir no Sábado, fui alterá-lo para partir na Segunda ao final de tarde. Vai custar muito deixar este belo lugar, mas neste lugar o tempo não pára e o meu é pouco e já só tenho metade.
Tenho conhecido vários viajantes, Anjuna é um ponto de paragem para a maioria deles, as perguntas que por aqui mais rolam são: “Estás na Índia faz quanto tempo?”; “Quanto tempo vais ficar?”, “De onde és?”. Acreditem ou não, de todos os que conheci, sou eu quem menos tempo de viagem terá. 1 mês é realmente muito pouco para algo deste dimensão, uns estão cá desde Agosto, Abril… estão pela segunda, terceira vez…

Adoptei duas meninas, a Susan (que na verdade chama-se algo como Sharow mas gosta de ter nome estrangeiro), e a Kirina, sua irmã [ver fotografias]. A Susan não sabe a idade que tem, diz que não comemora o aniversário porque é pobre, acha que terá entre 14 e 15 anos e a irmã 8. O negócio da família são as barracas de artesanato e roupa que existem na praia. Pelo que percebi, existe alguém que meteu toda a família na praia a vender os produtos que importa. Ninguém da família ganha dinheiro, esse alguém apenas os alimenta, mas eles têm que vender para justificar a comida que recebem. Susan e a irmã têm uma pequena lojinha de joalharia, uma pequena caixa que transportam e de turista a turista vão tentando convencê-los ou a comprar ou a leva-los à barraquinha de roupa.
Apaixonei-me pela Kirina, tem apenas 8 anos e é um prodígio. Aquela miúda em Portugal teria imenso sucesso na vida. A necessidade de vender para sobreviver e o facto de ter já crescido por entre turistas, levou-a a aprender muito bem o inglês e a saber como vender. É muito difícil dizer-lhe não. E é muito provavelmente a melhor vendedora da praia [ver video]. É extremamente inteligente e vai muito além do inglês básico e essencial para a sua sobrevivência, com ela conversei sobre imensas coisas. É difícil de acreditar que tem apenas 8 anos quando penso nas crianças que conheço da mesma idade. Vi-a apenas uma vez a agir, sorrir e brincar como uma criança de 8 anos. Provavelmente terá o mesmo destino que os mais velhos membros da sua família, gostava que entre tanta gente, encontra-se uma fada-madrinha que a tira-se daquele lugar e lhe desse um mais justo destino digno das suas capacidades.

Pelos lados de Anjuna, os dias são sempre iguais, com uma ou outra nova história que vai surgindo, mas basicamente acorda-se, vai-se para a praia, venera-se o por-do-sol e reúne-se após o jantar em um dos espaços de chill out para se conversar e tomar um chai. Tenho alguns casos engraçados que aconteceram, tive por exemplo um combate com uma vaca que me tentou roubar o almoço [ver video]. Não foi fácil, após o que se vê no vídeo, começou a marrar na espreguiçadeira e teve de vir alguém ajudar-me a afastá-la. Episódios semelhantes acontecem durante o dia com outros turistas, toda a praia ri quando tal acontece.
Também conheci um português, o único. Ouvi-o falar com alguém em espanhol acerca de uma convenção de malabaristas que iria acontecer no dia em que a lua iria estar mais cheia, e questionei-o em espanhol acerca dessa mesma convenção. Pouco depois percebemos que ambos eramos Portugueses.
Chama-se Tiago (ou Tiaguim), deixou tudo para trás e veio para a Índia. Antes trabalhava como gráfico de uma revista de surf e tem imensos contactos na área, viu o meu trabalho e motivou-me imenso a procurar apoios para futuras viagens, falou-me que me ajudaria com contactos e que acreditava que eu tinha trabalho para os conseguir. Deixou Portugal em Agosto e desde então que por aqui anda, de momento está a estudar yoga cá em Goa, faz algumas semanas. Através dele conheci a sua companheira, Natália da Bulgária e conheci também a Anouh, uma filha de pais Indianos que nasceu em Londres e que foi viver para Espanha.
O que temos todos em comum? Estivemos os 4 no Boom Festival em Portugal. Neste outro lado do Mundo, fui encontrar gente que esteve no mesmo lugar que eu à uns meses atrás – e ainda estaria por cá um outro português que é da organização desse festival.
Estaria a decorrer uma convenção de malabarismo em Arambol [ver fotografias], uma praia a alguns kms dali, de onde vos escrevo neste momento. A noite seria especial, noite de lua cheia na praia. Para lá fomos passar o dia, a praia era enorme, com imenso espaço e muitos poucos vendedores. Para se chegar à praia passava-se por milhentas lojas onde até placas escritas em russo existiam. Percebi pouco depois que abundavam por ali turistas russos. Fugindo a este foco turístico, chegamos a uma zona da praia quase deserta e sem indianos, a convenção de malabarismo estaria a decorrer em um espaço aberto, do outro lado de um pequeno rio que se atravessaria através de uma ponte de madeira. Lá dentro, só se encontravam estrangeiros, a ensinar, a aprender, a vender[ver fotografias]. Para quem já esteve no Boom Festival, aquilo era uma pequena amostra.
O final de tarde foi um momento mágico. De um lado, por detrás do mar, escondia-se o Sol, enquanto que do lado oposto, nascia imponentemente e vigorosa a Lua iluminando toda a praia e recortando coqueiros e palmeiras no cenário[ver fotografias] [ver video].
Como que em jeito de despedida do Sol e saudação à Lua, os presentes ora tocavam ora escutavam ora faziam acrobacias ora puro e simplesmente respiravam e viviam o momento.
Voltamos, sorridentes, para casa.

Clicar na fotografia abaixo para ver as restantes:

Homem e Vaca Sagrada - O frente a frente

____________
Vídeos:


Anjuna Beach from Hugo Lima on Vimeo.


Anjuna Beach from Hugo Lima on Vimeo.


Anjuna Beach from Hugo Lima on Vimeo.

Tags: , , , ,

15 Responses to “Índia _ Arambol e um por do sol de encantar”

  1. Bruno Ferraz says:

    Namaste Hugo !!
    Fizeste bem conhecer Arambol, espero que tenhas conhecido a little Vagator !! Estive a ler o teu post e como estive em Arambol acho que tambem tive o prazer de conhecer essa menina de 8 anos, explicando por alto a loja dela fica na parte onde esta aquela montanha que tem fantasticas vistas para praia e onde se encontra enormes rochas a entrar no mar!! Vou iniciar agr interrail atraves do couchsurfing, basicamente algum ppl que conheci em Goa e Kerala vai estar presente no carnaval de veneza eh ;) !! Boas Energias

    Good Vibes And Travels !!

  2. Natasha says:

    Que paraíso!!
    Que instrumento toca o menino da banda sonora do vídeo pôr do sol em Arambol, sabes?? Que som fantástico!!! Lindíssimo!!!

  3. Oh Hugo, acho que devias ter dito “xôôôôô” à vaca em hindi. :-P

  4. Ana Limão says:

    Olá Hugo, fiquei curiosa com a tua ida à Índia, mas ainda mais ao saber que este instrumento vem de lá. No Verão, em Lisboa encontrei umas pessoas a tocar num objecto igual a esse mas fiquei sem saber qual o seu nome e origem. Se me pudesses dar essa ajuda agradecia.

  5. Tange says:

    Já vi (e ouvi) este video do pôr do Sol em Arambol dezenas de vezes e já o mostrei a dezenas de pessoas… simplesmente adoro!!! O som da “cataplana” :-) … o som do mar, o som da brisa, o ambiente… é perfeito!!! Transmite uma serenidade incrível!!
    Vou continuar a “ouver” este video até (como diria a fadista) q os ouvidos e os olhos me doam ;-)

  6. Hugo Lima says:

    Olá Ana, o instrumento chama-se Hang, é suíço e muito recente, já sofreu várias alterações, tem-se tornado conhecido um pouco por toda a europa desde 2001, conheci-o em 2003 e no Porto já o vi 3 vezes em projectos diferentes lá no Contagiarte. Se pesquisares pelo nome, encontrarás já alguns myspace e semelhantes com info e sons.

  7. Hugo Lima says:

    Hang, é suíço e muito recente, já sofreu várias alterações, tem-se tornado conhecido um pouco por toda a europa desde 2001, conheci-o em 2003 e no Porto já o vi 3 vezes em projectos diferentes lá no Contagiarte. Se pesquisares pelo nome, encontrarás já alguns myspace e semelhantes com info e sons.

  8. sara do canto says:

    hmmm!! lindas as tuas trajectórias!! quem está a tocar hang é o davide??? que giiiro :) como o mundo é pequeno!! continuação de boas inspirações.

  9. Hugo Lima says:

    Caramba.. chama-lhe pequeno… é o davide sim e eu só o conheci depois, pela internet, uns 5 min depois de ter visto o vídeo, vejo alguém no myspace parecido com ele… não o procurava. Após ter encontrado alguém sem procurar que vi do outro lado do mundo, posso afirmar que o mundo é mesmo pequeno.

  10. sara do canto says:

    bem… que cena!! pois. costumo falar com ele aqui pela net, pois ele tem uma vontade enorme de vir conhecer o arquipélago dos açores. interessante ;) tudo de bom para ti

  11. tereza says:

    Oi Hugo: Sou professora de yoga no Brasil. Vi seu post sobre Goa e adorei os videos que vc postou… Estou pensando em ir a Goa em março 2010. Gostaria de praticar e yoga e fazer aulas de musica. tem alguma sugestão de lugar tranquilo, confortável e barato?
    obrigada
    Se puder, visite meu blog: http://www.yoganavida.blogspot.com

  12. Nat says:

    Hey Hugo vim pesquisar sobre Arambol e parei aqui na sua página.Estou a pensar e planejar a minha ida à india no próximo ano..lendo os seus posts vi que também participou do Boom Festival o ano passado,eu tb estava lá! Trabalhei na área de comunicação escrevendo para o Daily Dragon juntamente com o Artur..que deve ser essa pessoa que vc citou tb! =)
    Bacana,vou continuar lendo sobre suas trips pelo mundo..me add e vamos nos falar mais..tb sou uma viajante intensa e sempre relato sobre..
    se tiver skype: nati_naville
    http://www.emusicbrasil.com
    http://www.misturaurbana.com
    ou facebook nat picchi naville

    um grande beijo
    Nat

  13. Nat says:

    ah e o de cabelo enrolado é o David??tb conheci ele no Boom..=)
    muito bom esses encontros assim ao acaso..boas lembraças!!

  14. Nat says:

    me confundi..mas o que aparece junto com a garota,se chama como??ele que eu conheci tb!!

  15. André Capela says:

    Bem, hoje o sr Augusto da FotoIris disse-me q o Hugo da Trofa tinha ido para a Índia um mês… Não sabia quem és, mas conheço o teu trabalho com os Blasted. E já te conhecia do Contagiarte… Se quiseres companhia e tivermos oportunidade ainda organizamos uma caravana video/fotográfica até à índia :) Abraço e continuação de boa viagem…

Leave a Reply